Compartilhe

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Afegã mutilada por marido mostra resultado de série de cirurgias

Uma jovem afegã que teve suas orelhas e nariz arrancados pelo marido mostra ao mundo o resultado de uma série de cirurgias para reconstruir sua face. Aesha Mohammadzai ganhou a atenção do mundo após ser capa da revista norte-americana Time, em agosto de 2010, expondo seu rosto mutilado. 

Hoje com 19 anos de idade, Aesha tornou-se símbolo da luta pelo fim dos abusos contra a mulher no Afeganistão. A jovem foi agredida por seu marido e pela família do homem após tentar fugir da casa onde moravam.

Sua aparição na publicação americana rendeu um resultado positivo para a jovem, que passou a receber ajuda de pessoas de todo o mundo. Hoje em dia ela mora em Maryland, nos Estados Unidos, ao lado de uma família que praticamente a adotou, de acordo com o jornal “Daily Mail”. 

A jovem foi acolhida por uma família norte-americana em Maryland. (Foto: Divulgação / ITV)

Mohammadzai foi submetida a um tratamento de reconstrução da face nos Estados Unidos. Os médicos estimularam a produção de tecido na testa da jovem, na tentativa de preencher os locais onde antes estavam as orelhas e seu nariz. 

Aesha foi capa da revista Time em agosto de 2010. (Foto: Reprodução / Time)“Eu era abusada pelo meu marido e pela família dele todos os dias. Mentalmente e fisicamente. Um dia, isso se tornou insuportável e eu fugi. Eles me apanharam e me colocaram em uma prisão por cinco meses”, contou a jovem afegã, em entrevista à “ITV”. “Quando fui ao juiz, ele me enviou de volta para o meu marido. Naquela noite, eles (familiares do esposo) me levaram para as montanhas. Eles amarraram minhas mãos e pés. E disseram que a punição seria cortar meu nariz e orelhas. E foi isso o que fizeram”, continuou. 

Abandonada nas montanhas, Mohammadzai conseguiu chegar à casa de seu avô, onde recebeu cuidados médicos iniciais. “Quando eles cortaram meu nariz e orelhas, eu desmaiei. Acordei no meio da noite, e senti como se tivesse água gelada no meu nariz. Abri os olhos e nem conseguia enxergar por causa de todo o sangue”, disse ela à “CNN”.

Aesha foi prometida a um membro do Talibã com apenas 12 anos pelo pai, interessado em quitar uma dívida. Durante o período ao lado do marido, ela foi obrigada a dormir com animais em estábulos e  proibida de estudar. Livre da opressão de seu antigo esposo, a jovem afegã promete agora lutar a favor das mulheres violentadas pelo mundo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares